• Sentei  pensando:preciso escrever, afinal, estive fora três semanas,experimentando o mundo, comidas diferentes,trocando ideias, “sentindo “ as peculiaridades de  outros povos, lares por onde tive o privilégio de andar.
  • Não tenho nada específico em mente…é assim que gosto de escrever, o que me vem é o que está na porta da ideia pra sair e é o que o pobre do leitor precisa se sujeitar a saber neste momento.

Confesso ter perdido um pouco do  “tesão” por viagens há muito, desde que dei-me conta que o mundo está super povoado e de que não há mais quase nenhuma fresta nele em que não nos deparemos com algum oriental empunhando uma capciosa   máquina fotográfica de última geração.Não há mais glamour! E disto tão bem nos fala Danuza Leão no seu último livro( É Tudo Tão Simples). Não conseguimos mais nos misturar  ao povo do local visitado e simplesmente curtir os prazeres existentes, passear,conhecer a gastronomia do lugar sem esbarrar num monte de gente,  disputar espaço em fila,aguentar safanões,má educação, gente falando alto numa verdadeira torre de Babel desvairada…situação do tipo PARA O MUNDO QUE EU QUERO DESCER !   Hoje quando viajamos, o inferno já começa nos aeroportos. HÁ COISA MAIS SEM GLAMOUR HOJE EM DIA DO QUE AEROPORTOS E SUAS PESSOAS ESQUISITAS? Um prato cheio para a análise do zoológico humano que somos nós, homens.

Depois que sobrevivemos  a esta etapa, cada vez mais  constrangedora, embarcamos rumo aos nossos destinos, acalentados pelo sonho de sermos mais felizes lá do que éramos cá.

Aqui retomo do ponto onde estava e onde comecei a divagar.

Eis que quando chegamos ao nosso destino a  gente não consegue se misturar ao povo local e simplesmente curtir o lugar. A não ser na Guarda, Portugal, meu xodó e nossa( minha e do meu marido) segunda pátria amada. Lá a gente é local, a gente se mistura, a gente come comida maravilhosa, feita em casa de gente boa, em casa de família que cozinha comida de verdade.Fomos no mercado municipal, na igreja rezar, no cemitério, participamos do lanche no dia das Mães com a família toda,vivemos a vida comum de toda a gente de lá.

Fiz cabelo no salão, manicure( um tal de verniz de gel que dura mais de 3 semanas em perfeito estado!!fiquei alucinada!), compras no mercado Modelo.Fizemos romaria gastronômica :comemos na casa de quatro irmãos e dos pais da comadre Isabel  .Comi bolas de Berlim,suíços  na pastelaria com a comadre e a Mi, irmã dela.

Bolas de Berlim

Suíços

Andamos nas aldeias, comemos feijoada de bacalhau, cozido, leitão assado, arroz de cabidela, de mariscos, de pato, arroz de Tamboril, sopa de peixe com coentros, rissoles de camarão,cabrito assado com batatas, prego no pão, açorda de alho e coentros com filé de vitela,espetada de carne no pau de loureiro à moda da Madeira, bolinhos de bacalhau, pescada chilena com feijões verdes e batatas,os incomparáveis pães, pastéis de nata,doce de abóbora com laranja, geleias feitas em casa,queijo da serra e tudo regado a vinho todo santo dia.Só pra resumir! E o principal…tudo regado a amor fraterno, amor desmedido, amor de quem tem muito dentro de si transbordando.Gente que sabe e adora receber bem.

Obrigada ,gente da minha Guarda amada. Por vocês eu volto mil vezes a enfrentar aeroportos, filas, bagunças, pois neste cantinho de Portugal se esconde um povo que eu amo muito.

Galeria de fotos da comilança:

Arroz de Tamboril

No restaurante Colméia…a espera do Arroz de Tamboril

Bolinhos de bacalhau da Dona Leonor

Cabrito assado com batatas da Mi

Rissoles de Camarão da D.Leonor e Mi

Cozido à Portuguesa na casa da Teresa e do Duarte

Espetada de Carne no Pau de Loureiro à Moda da Ilha da Madeira com Milho..na casa do Rogério e da Lena

Arroz de Cabidela …em duas versões ( sem sangue )para agradar a gregos e a troianos…

e o original…MARAVILHOSO! com sangue !!!!

O sensacional Arroz de pato da Mi !

Ele…o arroz de pato…me olhando no meu prato!

Pura maldade no lanche da tarde …

Açorda de Coentros e alho com Lombo de Vitela …amei!!!

Leitão assado com Batatas …

Lanchinho de Aniversário -Surpresa da Comadre Isabel !

Surpresa mesmo!!! A emoção pegou a comadre de jeito!

Pata Negra , um troféu corrompido…

E  orgulhosos ao fundo,Zé Igreja -o dono da pata – e seu amigo kadado…

Pra variar, reunidos esperando …comida!!!

Bebemorando inocentemente…

e não tão inocentemente na noite da Guarda…no AQUI  JAZZ!!!

Inocentemente de novo…na casa da Teresa e do Duarte…com um delicioso chá pra espantar o frio de lascar…

Outro chazinho maligno…Chez Marisa e Rui.

Bola de Carne da D. Leonor

Feijoada de bacalhau em Vila Fernando,na casa da Lu e do Manoel , depois do caldo verde feito no lume

Mãe,estas fotos são  pra ti ! Olha esta árvore ,que coisa linda !  Lá na casa dos meus anfitriões: meus queridos amigos Mi e Zé Igreja.

Ao fundo , o seminário.