Desfrute do Harém …enquanto me lê !

O vento nu sopra o véu…

O ventre  nu  VAI ao  céu

O ventre nu   VOLTA ao cerne…

Carrossel de carne

Sobe e mergulha

Montanha russa de pulsante  pele .

Em  encantar , se compraz

Abre  o  AR  , peito voraz !

Enchendo o Vazio  , o Vácuo

Com a canção do corpo , divino oráculo

Esvaziando a alma da dançarina,

Fada- Serpentina !

Deitando seu hino  de volúpia no piso chulo,

sacerdotisa-menina !

Ei-lo esparramado…  por pés de deusa

pisoteado .

Por volumes calipígios , por umidades ,

energias telúricas.

Serpenteia o útero, o ventre,

varre  o envergonhado solo…

Acalenta o sonho com a maternidade do colo.

Ó  incensado momento, de inevitáveis suspiros

Arrancados  à  força , contidos gemidos.

Platéia extasiada, dedos unidos ,

Viajando no corpo que fala, que dança, que

exala …

Apoteose  sublime , de braços erguidos

Qual deusa das águas com manto de opala.

Denise Bondan

Anúncios