(…Era um vestido especial, daqueles de ir à missa aos domingos, muitas fitas e rococós como se usava nos anos 30.)

(…”Enquanto esperava lhe chamarem, sentou-se ao pé do abacateiro em frente ao avarandado com seu bastidor tentando seguir o traço, quando sentiu algo cair dentro do vestido.


Era um bichinho: formiga, joaninha? Uma aranha? Que medo!



Fez um apertadinho do bichinho no vestido e zupt… meteu a tesoura livrando-se do inoportuno visitante. Mas, e agora? Lá ficou um buraco no vestido.


Sua mãe, mulher severa, não achou nenhuma graça; e para castigo de Maria o pedacinho foi costurado ali outra vez… Um remendo feio no meio de tanta boniteza!
Maria junto com os pontos do bordado também aprendeu que a tesoura era só para cortar a linha. “)

( enviado por Susy Altmayer)

Sobre este artigo, fiz  um comentário no SÓTAO E PORÃO, blog da

companheira Martha  Scodro, que sigo .

Escrevo:
denisebondan disse…

Que travessura gostosa!!! Não deu pra não imaginar a cena …a rapidez da

tesoura, a fúria da mãe e a decepção do remendo . Muito bom!

Coraçãozinho tb ficou remendado, posso apostar!


No que a amiga Martha , prontamente responde:

Traças e cupins disse…

Denise, aí vai uma pergunta:

quantos remendos um coração aguenta?



Respondo :

Sei não…alguns nem aguentam, DESISTEM !

Mas conheço gente que tem uma COLCHA DE PATCHWORK

no peito !!!



A pergunta da Marthinha me faz refletir sobre

a nossa capacidade de  CAPTAR ,

ARMAZENAR e CONVIVER COM a mágoa.


Egos frágeis são grandes “captadores” de

mágoas…

Uma vírgula posta no lugar errado, uma pausa

esquecida na fala… pode desencadear no

outro um sofrimento, um  romper  de

dique…

…de sentimentos  auto-referentes. E nada

bons !

Quanta  inutilidade  pode  haver  numa

mágoa ???

Uma  inutilidade  do

tamanho do  mundo…infinita até!

Toda vez que sou mordida por este bichinho

noçivo (‘ Magoarum  Minhálmuns ‘)me

questiono :

PORQUE  aquilo me atingiu de forma a me

causar uma quebra de paz  de espírito??!!


… PORQUE aquilo me tirou da minha zona

de conforto ??!!


PORQUE  me identifiquei??!!

PORQUE  realmente tenho ou sinto aquilo em

mim ?

Penso aquilo de mim?


Dizem  que  os  outros     são  o  nosso

“espelho”…


que aquilo que não gostamos no outro ,

provavelmente é um lado escuro nosso , o qual

negamos ter.

O rejeitamos prontamente!

Com asco !

A identificação nos impede de lidar com o

sofrimento.

Então, vez por outra costumo verificar se

minha mente não está alimentando

um padrão de mágoa,culpa, autopiedade ou

ressentimento… ”retalhos sujos” que

enfeiam meus vestidos.

E, se este estiver sendo o caso, sei que AINDA

NÃO PERDOEI !!!

( o perdão tem que vir da alma…não dos

lábios … )


Nosso  falso  eu , o  Ego ,

não consegue

sobreviver sem estas emoções

negativas.

Preciso matá-las de fome !

Preciso perdoar e Me perdoar…

“PERDOE ANTES DE ENTRAR NO TEMPLO !”

disse o Mestre Jesus.

O  “inseto” ainda invade a minha roupa ,

ocasionalmente, mas já não me assusto,

nem preciso mais cortar meu vestido com a

tesoura .

Ele pousa ,faz algum estrago,mas já não

ligo…  logo voa desconcertado pra outra

flor, de outro vestidinho.

Meu coração, minha colcha, nunca chegou

a ser de PATCHWORK !

Mas tinha sim alguns remendos que EU fui

fazendo durante a minha vida.

Eu os havia costurado com linha

reforçada, com esmero , para

não desmancharem.

Está dando um pouco de trabalho…mas

estou conseguindo desfazer,  um a um , os

pontos dos retalhos desnecessarios da

colcha da minha vida.



Melhor ainda, dia desses resolvi costurar

uma

colcha NOVA !

Nesta, estou tendo todo o cuidado de não

costurar nenhum quadrado de tecido de

mágoa…culpa…ressentimento…raiva.


Acho que vou bordá-la… com  joaninhas,

pássaros e  flores.



Com  linha  de  seda  colorida .


Um ponto caprichado

por dia…


(Denise Bondan)

Blog da Martha :

sotaoeporao.blogspot.com

Anúncios